CORREÇÃO DE FISSURA LÁBIO PALATAL

Fissuras Lábio Palatinas

 

Uma fissura ou fenda ocorre quando uma criança nasce com uma abertura no lábio e/ou no céu da boca (palato). As fissuras do lábio e do palato são os defeitos congênitos mais comuns que acometem a região do crânio e da face. 

Durante as primeiras 6 a 10 semanas de gravidez, os ossos e os tecidos do maxilar superior, do nariz e da boca do bebê normalmente se juntam para formar o céu da boca e do lábio superior. Uma fenda surge quando partes do lábio e da boca não se unem completamente.

Uma fissura pode estar de um lado da boca (fissura unilateral) ou em ambos os lados da boca (fissura bilateral). E elas podem acometer apenas o lábio, ou apenas o céu da boca (palato) ou acometer ambos, e também podem se estender até a gengiva ou até o nariz.

Não existe uma causa certa para a ocorrência das fissuras lábio palatinas, mas sim uma combinação de fatores genéticos (herdados) e ambientais (como certos medicamentos ou deficiências vitamínicas).

 

Tratamento das Fissuras Lábio Palatinas

 

Crianças nascidas com fissura labial ou palato fendido podem ter problemas relacionados à amamentação, mastigação, audição e fala. E todos os problemas são

são tratáveis, e requer uma equipe multidisciplinar que inclui diversos profissionais:

  • Médico Cirurgião Plástico

  • Médico Geneticista

  • Médico Otorrinolaringologista

  • Cirurgião Buco Maxilo Facial

  • Ortodontista

  • Nutricionista

  • Fonoaudiólogo

  • Psicólogo

 

As principais cirurgias são as seguintes:

 

3-6 meses: Cirurgia de Queiloplastia para reparar o lábio

8-12 meses: Cirurgia de Palatoplastia para reparar o palato

6-12 anos: Cirurgia de Enxerto Ósseo para reparar a fenda alveolar

16-21 anos: Cirurgia Ortognática

 

O Cirurgião Buco Maxilo Facial em conjunto com o Ortodontista são responsáveis pelas etapas de Enxerto Ósseo Alveolar e Cirurgia Ortognática.

 

Preparo para o Enxerto Ósseo Alveolar – Tratamento Ortodôntico

 

Crianças com fissura do lábio e do palato podem começar o tratamento ortodôntico de alinhamento e expansão palatina aos 6 anos de idade. Os palatos tendem a ser estreitos e colapsados. A expansão palatina prepara para o Enxerto Ósseo Alveolar, empurrando e alinhando os segmentos alveolares, criando espaço para dentes permanentes. Um dispositivo (móvel ou fixo) chamado expansor é colocado nos dentes, e com um parafuso de encaixe, o céu da boca é ampliado e expandido transversalmente. Isso é feito durante a fase de dentição mista, quando os dentes permanentes começam a se desenvolver. O procedimento é feito pelo ortodontista, trabalhando em estreita colaboração com o cirurgião.

 

Enxerto Ósseo Alveolar

Uma etapa essencial do tratamento cirúrgico desses pacientes é a reconstrução do osso alveolar (osso que fica ao redor dos dentes) por meio de enxerto ósseo. Geralmente o osso é retirado da bacia da criança (crista ilíaca) para se colocar no defeito. Essa cirurgia deve ser realizada no estágio de dentição mista após o tratamento ortodôntico específico, de alinhamento e expansão palatina.

Um dos objetivos da cirurgia do enxerto é promover a erupção do canino permanente e, algumas vezes, do incisivo lateral na região enxertada. Outras funções importantes são estabilização do arco dentário maxilar, fechamento de fístulas oro-nasais, melhorar a projeção e simetria do lábio superior, proporcionar suporte periodontal para os dentes adjacentes a fenda, promover suporte para a base do nariz e permitir a instalação de implantes dentários quando indicados.

 

Cirurgia Ortognática

Os pacientes com fissuras lábio palatinas podem apresentar, após a fase de término de crescimento ósseo, retrusão maxilar, quando o maxilar superior está para trás do inferior, que é o inverso do normal. Geralmente, as cirurgias corretivas do lábio e palato podem inibir e restringir o crescimento normal do maxilar superior. 

A cirurgia ortognática é realizada em aproximadamente  20% dos casos, mas somente depois do crescimento do paciente, ou seja, entre 16 a 21 anos. Nestes casos o tratamento ortodôntico isolado não é suficiente para correção do problema e a cirurgia ortognática é associada ao tratamento a fim de se obter uma oclusão (mordida) estável, melhorando a mastigação, respiração e a estética dos pacientes.

Drª Nídia Marinho

Rua Visc. de Pirajá, 550  Sala 1607 | Ipanema - Rio de Janeiro | CEP 22.410-901

Tels: (21) 2486-9871 | WhatsApp (21) 99660-6208

DRª NÍDIA MARINHO

Odontologia - Buco Maxilo Facial

Copyright © 2017 Nídia Marinho. Todos os direitos reservados.